imagem alusiva a Todas as horas faço gaffes de civilidade e etiqueta,

Todas as horas faço gaffes de civilidade e etiqueta,

PoetMi.com

Todas as horas faço gaffes de civilidade e etiqueta,

Todas as horas faço gaffes de civilidade e etiqueta

(A vida social é complexa para a minha fraqueza de nervos)

Mas nunca existiu quem só tivesse vivido em alma

Numa eterna luta de Janus.


Arre, a humanidade é uma coisa muito complexa...

Tenho-a observado com os olhos e os

nervos, e ainda não percebi.

(Compreender é um navio ao longe)


Toda a gente que tenho conhecido


Estou farto de semi-deuses!

Onde é que há gente no mundo?


Não tenho um amigo, um conhecido, em quem batessem

Ninguém que eu conheça perdeu o amor de uma mulher.

Tenho feito muitas coisas más, muitas coisas reles, muitas infâmias.

Tenho sido cobarde, revoltante, sujo.

Não encontro ninguém assim.

Todos têm sido príncipes, os que têm andado comigo

Álvaro de Campos in Poesias de Álvaro de Campos


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Álvaro de Campos

O Poeta Álvaro de Campos é um dos mais importantes heterônimos de Fernando Pessoa. Segundo Fernando Pessoa nasceu em Tavira, no extremo sul de Portugal. Estudou Engenharia Naval, na Escócia. No entanto, não exerceu a profissão por não poder suportar viver confinado em escritórios.