imagem alusiva a Terceiro Canto

Terceiro Canto

PoetMi.com

Terceiro Canto

I


Embala-me, balanço da mangueira,

Embala-me, que enquanto vou contigo,

Contigo venho, o meu pesar esqueço.

Rompe a luz da manhã rosada e linda,

Tudo desperta. E essa por quem padeço,

Lânguida e preguiçosa,

Entre brancos lençóis repousa ainda.

Embala-me, pendente da mangueira,

Na tensa corda, meu balanço amigo!

Em claro a noite inteira

Passei, pensando nela. Ah! que formosa

Estava ontem à tarde no mirante,

Um livro ao colo, às tranças uma rosa,

E o olhar perdido na amplidão distante!

Pensava... Em quem pensava?

Se fosse em mim... Como formosa estava!

Oh! não pausado e manso,

Mas aos arrancos, estirado voa,

Leva-me, meu balanço!


II


Assim cismando, à toa,

Olhos voltados já para a querida

Visão de Laura, já para o céu claro,

Para o campo e arredores,

A manhã passo. Sobre a serra erguida

Em frente nasce e, coroando-a, brilha

O sol. Loureja o ipê com as áureas flores.

Late nos grotões fundos, indo ao faro

Da caça, ao buzinar dos caçadores,

Da fazenda a matilha.

E no ar que sopra dos capões escuros,

Sente-se, de mistura a essências finas

E ao cheiro das resinas,

Um sabor acre de cajás maduros.


III


Cajás! Não é que lembra à Laura um dia

(Que dia claro! esplende o mato e cheira!)

Chamar-me para em sua companhia

Saboreá-los sob a cajazeira!


— Vamos sós? perguntei-lhe. E a feiticeira:

— Então! tens medo de ir comigo? — E ria.

Compõe as tranças, salta-me ligeira

Ao braço, o braço no meu braço enfia.


— Uma carreira! — Uma carreira! — Aposto!

A um sinal breve dado de partida,

Corremos. Zune o vento em nosso rosto.


Mas eu me deixo atrás ficar, correndo,

Pois mais vale que a aposta da corrida

Ver-lhe as saias a voar, como vou vendo.


Imagem - 00020004


Publicado no livro Poesias: segunda série. Poema integrante da série Alma em Flor, 1900.


In: OLIVEIRA, Alberto de. Poesias completas. Ed. crít. Marco Aurélio Mello Reis. Rio de Janeiro: Núcleo Ed. da UERJ, 1978. v.2. (Fluminense)


NOTA: Alma em Flor é composto de 3 cantos. O terceiro tem 17 parte


No poetmi desde 2022-10-01 01:36:54

Avatar do autor do poema

Alberto de Oliveira

Antônio Mariano de Oliveira, foi um poeta, professor e farmacêutico brasileiro. Figura como líder do Parnasianismo brasileiro, na famosa tríade Alberto de Oliveira, Raimundo Correia e Olavo Bilac.