imagem alusiva a Seguro assento na coluna firme [ 3]

Seguro assento na coluna firme [ 3]

PoetMi.com

Seguro assento na coluna firme [ 3]

Seguro assento na coluna firme


Dos versos em que fico.


O criador interno movimento


Por quem fui autor deles


Passa, e eu sobrevivo, já não quem


Escreveu o que fez.


Chegada a hora, passarei também


E os versos, que não sentem


Serão a única restança posta


Nos capitéis do tempo.



A obra imortal excede o autor da obra;


E é menos dono dela


Quem a fez do que o tempo em que perdura.


Morremos a obra viva.


Assim os deuses esta nossa regem


Mortal e imortal vida;


Assim o Fado faz que eles a rejam.


Mas se assim é, é assim.



Aquele agudo interno movimento,


Por quem fui autor deles


Primeiro passa, e eu, outro já do que era,


Póstumo substituo-me.


Chegada a hora, também serei menos


Que os versos permanentes.


E papel, ou papiro escrito e morto


Tem mais vida que a mente.



Na noite a sombra é mais igual à noite


Que o corpo que alumia.


Ricardo Reis in Odes de Ricardo Reis


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Ricardo Reis

Ricardo Reis, um dos diversos heterônimos do escritor português Fernando Pessoa. Segundo seu criador, ele nasceu em 1887, em Portugal, mas se exilou no Brasil a partir de 1919. Monarquista, epicurista, partidário do estoicismo e do paganismo, sua poesia possui traços neoclássicos e tem como principal temática a efemeridade da vida.