imagem alusiva a Quando cantas

Quando cantas

PoetMi.com

Quando cantas

XXVI


Quando cantas, minhalma desprezando

O invólucro do corpo, ascende às belas

Altas esferas de ouro, e, acima delas,

Ouve arcanjos as cítaras pulsando.


Corre os países longes, que revelas

Ao som divino do teu canto: e, quando

Baixas a voz, ela também, chorando,

Desce, entre os claros grupos das estrelas.


E expira a tua voz. Do paraíso,

A que subira ouvíndo-te, caído,

Fico a fitar-te pálido, indeciso...


E enquanto cismas, sorridente e casta,

A teus pés, como um pássaro ferido,

Toda a minhalma trêmula se arrasta. .



No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Olavo Bilac

Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac foi um jornalista e poeta brasileiro.