imagem alusiva a O pó que fica das velocidades que já não se vêem!

O pó que fica das velocidades que já não se vêem!

PoetMi.com

O pó que fica das velocidades que já não se vêem!

O pó que fica das velocidades que já se não vêem!

O do metálico dos êmbolos,

O furor uterino das válvulas lá por dentro —

O sangue dando em baque ao ataque dos excêntricos.


Minhas sensações

Protoplasma da humanidade matemática do futuro!


Eia-la-ho! Hó-oo-o!


Oh lá, saltos e pulos com o meu pensamento todo

Pula bola de mim — a mágica biológica que eu sou!

O cérebro servo de leis, os nervos movidos por normas

Por normas compostas em tratados de psiquiatras

Álvaro de Campos in Poesias de Álvaro de Campos


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Álvaro de Campos

O Poeta Álvaro de Campos é um dos mais importantes heterônimos de Fernando Pessoa. Segundo Fernando Pessoa nasceu em Tavira, no extremo sul de Portugal. Estudou Engenharia Naval, na Escócia. No entanto, não exerceu a profissão por não poder suportar viver confinado em escritórios.