imagem alusiva a Lira

Lira

PoetMi.com

Lira

Coeur sans amour est un jardin sans fleur.

L. HALEVY


Se me queres a teus pés ajoelhado,

Ufano de me ver por ti rendido,

Ou já em mudas lágrimas banhado;

Volve, impiedosa,

Volve-me os olhos;

Basta uma vez!


Se me queres de rojo sobre a terra,

Beijando a fímbria dos vestidos teus,

Calando as queixas que meu peito encerra,

Dize-me, ingrata,

Dize-me: eu quero!

Basta uma vez!


Mas se antes folgas de me ouvir na lira

Louvor singelo dos amores meus,

Por que minha alma há tanto em vão suspira;

Dize-me, ó bela

Dize-me: eu te amo!

Basta uma vez!


Publicado no livro Segundos Cantos e Sextilhas de Frei Antão (1848). Poema integrante da série Segundos Cantos.


In: GRANDES poetas românticos do Brasil. Pref. e notas biogr. Antônio Soares Amora. Introd. Frederico José da Silva Ramos. São Paulo: LEP, 1959. v.


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Gonçalves Dias

Antônio Gonçalves Dias foi um poeta, advogado, jornalista, etnógrafo e teatrólogo brasileiro. Um grande expoente do romantismo brasileiro. Filho de um comerciante português e uma mestiça viveu em um meio social conturbado. Em 1862, Gonçalves Dias foi para a Europa para tratamento de saúde. Sem resultados embarcou de volta no dia 10 de setembro de 1864, porém o navio francês Ville de Boulogne em que viajava, naufragou perto do Farol de Itacolomi, onde o poeta faleceu com 41 anos de idade.