imagem alusiva a II - Deixo, deuses, atrás a dama antiga

II - Deixo, deuses, atrás a dama antiga

PoetMi.com

II - Deixo, deuses, atrás a dama antiga

II

Deixo, deuses, atrás a dama antiga

(Com uma letra diferente fixo

O absurdo, e rio, porque sofro). Digo:

Deixo atrás quem amei, como um prefixo...


Outrora eu, que era anónimo e prolixo

(Dois adjectivos que de há muito sigo)

Amei por ter um coração amigo.

Amo hoje o que amo só porque o persigo.


Dêem-me vinho que um Horácio cante!

Quero esquecer o que de meu é meu...

Quero, sem que me mexa, ir indo adiante.


Estou no Estoril e olho para o céu...

Ah que ainda é certo aquele azul ovante

Que esplendeu astros sobre o mar egeu.

Álvaro de Campos in Poesias de Álvaro de Campos


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Álvaro de Campos

O Poeta Álvaro de Campos é um dos mais importantes heterônimos de Fernando Pessoa. Segundo Fernando Pessoa nasceu em Tavira, no extremo sul de Portugal. Estudou Engenharia Naval, na Escócia. No entanto, não exerceu a profissão por não poder suportar viver confinado em escritórios.