imagem alusiva a II - A Praça da Figueira de manhã,

II - A Praça da Figueira de manhã,

PoetMi.com

II - A Praça da Figueira de manhã,

A Praça da Figueira de manhã,

Quando o dia é de sol (como acontece

Sempre em Lisboa), nunca em mim esquece,

Embora seja uma memória vã.


Há tanta coisa mais interessante

Que aquele lugar lógico e plebeu!

Mas amo aquilo, mesmo assim... Sei eu

Porque o amo? Não importa nada... Adiante!


Isto de sensações só vale a pena

Se a gente se não põe a olhar para elas.

Nenhuma delas em mim é serena...


De resto, nada em mim é certo e está

De acordo consigo próprio... As horas belas

São as dos outros, ou as que não há.


Londres (uns cinco meses antes do Opiário) Outubro 1913

Álvaro de Campos in Poesias de Álvaro de Campos


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Álvaro de Campos

O Poeta Álvaro de Campos é um dos mais importantes heterônimos de Fernando Pessoa. Segundo Fernando Pessoa nasceu em Tavira, no extremo sul de Portugal. Estudou Engenharia Naval, na Escócia. No entanto, não exerceu a profissão por não poder suportar viver confinado em escritórios.