imagem alusiva a Em Custódia

Em Custódia

PoetMi.com

Em Custódia

Quatro prisões, quatro interrogatórios...

Há três anos que as solas dos sapatos

Gasto, a correr de Herodes a Pilatos,

Como Cristo, por todos os pretórios!


Pulgas, baratas, percevejos, ratos...

Caras sinistras de espiões notórios...

Fedor de escarradeiras e micróbios...

Catingas de secretas e mulatos...


Para tantas prisões é curta a vida!

— Ó Dutra! Ó Melo! Ó Valadão! Ó diabo!

Vinde salvar-me! Vinde em meu socorro!


Livrai-me desta fama imerecida,

Fama de Ravachol, que arrasto ao rabo,

Como uma lata ao rabo de um cachorro.


In: CARVALHO, Afonso de. Bilac: o homem, o poeta, o patriota. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1942. p.5


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Olavo Bilac

Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac foi um jornalista e poeta brasileiro.