imagem alusiva a Chove fogo — ouro de barulho estruge...

Chove fogo — ouro de barulho estruge...

PoetMi.com

Chove fogo — ouro de barulho estruge...

Chove fogo — ouro de barulho estruge...

"Hela-hohô-ô (ô)...


Z — zz Sher Rr to go. Shabababulá...


[...]

ESPAÇO...


Tudo se apaga como uma grande lâmpada eléctrica que se funde...


Vem do fundo do mundo

Vem do horizonte mudo, confuso do mundo,

Sussurro surdo, escuro, murmúrio

De uma cavalgada que dura, que dura furiosa no ouvido,

Inúmera cavalgada vem...


Vêm do fundo do mundo confuso

Vêm do abismo do espaço nocturno...

À pressa, negros, rápidos, de repente surdem...

Súbito outra vez tremem...

Oscilam no ruído que tem rasto no escuro...

Inúmera cavalgada... Quem?


Vem apertada nos passos confusos

Vem apertada nos ruídos dispersos,

Vem aclamada nos ruídos mudos

Vem apertada nos ruídos confusos,

Vem apertada, vem apertada, vem apertada


Todo o horizonte está cheio por dentro de um grito absurdo

Helahôhô...

Helahôhô...

Álvaro de Campos in Poesias de Álvaro de Campos


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Álvaro de Campos

O Poeta Álvaro de Campos é um dos mais importantes heterônimos de Fernando Pessoa. Segundo Fernando Pessoa nasceu em Tavira, no extremo sul de Portugal. Estudou Engenharia Naval, na Escócia. No entanto, não exerceu a profissão por não poder suportar viver confinado em escritórios.