imagem alusiva a Canção do Exílio

Canção do Exílio

PoetMi.com

Canção do Exílio

Kennst du das Land, wo die Citronen bluhen,

Im dunkeln Laub die Gold-Orangen gluhen?

Kennst du es wohl? — Dahin, dahin!

Mocht' ich.... ziehn.

GOETHE


Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá;

As aves, que aqui gorjeiam,

Não gorjeiam como lá.


Nosso céu tem mais estrelas,

Nossas várzeas têm mais flores,

Nossos bosques têm mais vida,

Nossa vida mais amores.


Em cismar, sozinho, à noite,

Mais prazer encontro eu lá;

Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá.


Minha terra tem primores,

Que tais não encontro eu cá;

Em cismar — sozinho, à noite —

Mais prazer encontro eu lá;

Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá.


Não permita Deus que eu morra,

Sem que eu volte para lá;

Sem que desfrute os primores

Que não encontro por cá;

Sem qu'inda aviste as palmeiras,

Onde canta o Sabiá.


Coimbra, julho de 1843.


Publicado no livro Primeiros Cantos (1846). Poema integrante da série Poesias Americanas.


In: GRANDES poetas românticos do Brasil. Pref. e notas biogr. Antônio Soares Amora. Introd. Frederico José da Silva Ramos. São Paulo: LEP, 1959. v.1


NOTA: A epígrafe é uma citação, com cortes, da primeira estrofe

da balada "Mignon": Conheces o país onde florescem as laranjeiras?/

Ardem na escura fronde os frutos de ouro.../ Conhecê-lo?/ Para lá,

para lá,/ quisera eu ir! (Trad. Manuel Bandeira


No poetmi desde

Avatar do autor do poema

Gonçalves Dias

Antônio Gonçalves Dias foi um poeta, advogado, jornalista, etnógrafo e teatrólogo brasileiro. Um grande expoente do romantismo brasileiro. Filho de um comerciante português e uma mestiça viveu em um meio social conturbado. Em 1862, Gonçalves Dias foi para a Europa para tratamento de saúde. Sem resultados embarcou de volta no dia 10 de setembro de 1864, porém o navio francês Ville de Boulogne em que viajava, naufragou perto do Farol de Itacolomi, onde o poeta faleceu com 41 anos de idade.